O Cristo Palhaço - de Orlando Orfei
*ORLANDO ORFEI
                                           por: David Avelar
Orlando Orfei é  um dos maiores domadores do mundo.
Não se pode dizer que é um escritor.
Pois tudo o que escreveu está fragmentado nas brumas do tempo e na sua excelente memória.
Mas o é, com a maestria de um contista de valor.
Não se pode dizer que é um pintor.
Pois não pinta mais.
Mas o é, pois teve suas obras reconhecidas pelas mais altas autoridades do Vaticano, onde ali estão alguns dos originais.
Não se pode dizer que é violonista.
Pois não o é mais.
Já que seus dedos trincados pelos dentes dos seus amados leões por diversas vezes, já não lhe permitem dedilhar as cordas do violão.
Já foi "stunt"  do cinema italiano, quando se exigia algum domador que substituisse o mocinho nos grandes épicos dos filmes históricos de Roma.
Já foi artista da televisão quando protagonizou o pai da Ana Raio, novela da TV Manchete.
Orlando Orfei é um simples.
Que mesmo com tanto conhecimento e tendo sido um dos mais bem sucedidos empresários do ramo de diversões, nunca mudou. Sempre foi um simples.
Sua modéstia simples o faz ser recnhecido na rua por todos e a todos ele fala de igual para igual como se fossem velhos conhecidos.
Heroi da luta contra um AVC que o derrubou em 1993 em Santa Cruz de la Sierra, lutou contra os inimigos da mente e aí está com 83 anos, firme, à frente da sua grande paixão: O CIRCO ORLANDO ORFEI.
Sofre com o fechamento do Circo Garcia de sua grande amiga Carola, solidariza-se com ela, mas não desiste.
Luta contra os inimigos do CIRCO, CIRCO,  tradicional, mas que ainda atrai milhares de pessaoas que simples como ele entram debaixo da grande lona para rir e emocionar-se.
Demagogos, estúpidos. Querem agora acabar de uma vez com os animais no circo, enquanto que, milhares de pessoas, seres humanos a seu lado morrem de fome. Ninguém acaba com a história, é inserido nela compulsáriamente e pode escolher o meio com que será lembrado.
Que seria dos animais, se não fosse a consciência humana do conhecimento que evita o homem predador.
Por que o lobo, através de milénios transforma-se neste ser amigo que é o cão.
Inexplicável amizade que só pode ser entendida com o amor.
Experimentem maltratar um cão! Verão seus dentes logo. Ninguém maltrata animais e tem o seu amor e respeito.
Sou testemunha do amor do HOMEM pelos animais.
Fiquei naquela casa 10 anos de 70 a 80
e só vi carinho.
Claro que não vamos ser hipócritas e dizer que não há crises. Sempre existiram. Crises financeiras, Crises de adestramento onde o domador tem que ser firme, mas nunca usando a violência física. A violência é psicológica como um pai para um filho que às vezes grita, ameaça mas quer bem.
Leiam o EDITAL de Orlando Orfei
Pintor
Vejam em breve, uma edição de todas as obras de Orlando Orfei editadas por seu filho Alberto Orfei que fez uma coletânea de suas pinturas a partir de fotos, pois suas obras estão espalhadas pelo mundo.
 
 
 
 
 
 
 
 

                                                                                                                                     
Leiam sua biografia no Dizionario dello spettacolo del'900 (Itália)

 
 
* Orlando Orfei;  foi condecorado pelo Governo da República Italiana como Cavalheiro Oficial da República. No Rio de Janeiro, São Paulo e Goiânia é cidadão Honorário  pelo Estado e Cidadão Carioca Pelo Município do Rio de Janeiro. O reconhecimento também vem dos meios de comunicação onde a Rede Globo reconhece sua importância dentro de sua arte, elegendo-o Cidadão Carioca. Foi recebido também pelos Papas, Pio XII Paulo XVI e João Paulo II. Foi recebido 5 vezes pelo Papa João XIII, tendo nesse período, exibidas suas pinturas sobre circo na sala Antoniana, uma das mais importantes galerias de Roma. Foi recebido também pelos Papas, Pio XII Paulo XVI e João Paulo II